Poder da Palavra

Política, Filosofia, Literatura, Cultura, Espiritualidade, Ciências Sociais, Urbanismo e outros assuntos chatos

Casa de Chá

Cinzas da Cidade

Para Sampa em seu 457o. Aniversário

É fácil admirar o colorido,

Mas seus tons de cinza,

Feitos de chumbo e carvão,

Só podem ser apreciados

Em movimento.

É fácil apreciar o silêncio,

Mas seus sons de mil vozes,

Feitos de sussurros de cobiça ou gritos de miséria

Só soam como música

Em movimento.

Esta sua fuligem não é como a poeira dos tempos

Cobrindo ruínas outrora sagradas,

Esse seu manto cinza é cosido pela velocidade

Lembrando como tudo que é moderno

Termina em cinzas.

Se a metafísica é uma trilha na floresta antiga

Pela qual se anda a pé e com vagar

Então a dialética é este explodir de sons

da sua multidão tropeçando em si mesma.

Pela qual atravessamos rápidos e atentos.

Mas para nunca esquecer,

Mesmo os que falaram daquilo que é eterno

E imutável, insuflaram ou condenaram o progresso,

Só puderam fazê-lo nas cidades que eram

Como você.

É cinza porque na sua paleta

Só há Luz e Trevas

Misturadas de todas as formas.

Suas cinzas são o que restou do homem,

E ninho aonde ele renasce todos os dias.

quarta-feira, 26 janeiro, 2011 – 17:25

%d blogueiros gostam disto: